Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 21 - sábado, 24 de outubro de 2020


Genival Tourinho    tourinho@uai.com.br
60181
Por Genival Tourinho - 15/7/2010 11:46:36
De saias e calças compridas na Justiça e, mais, gravatas

Foi com muita satisfação que vi minha conterrânea, a ilustre ministra Carmem Lúcia Antunes Rocha usando esta última indumentária feminina numa sessão do Supremo Tribunal, enterrando de vez o preconceituoso tabu que vigorou na Justiça tantos anos. E fiquei a recordar fatos embaraçosos sobre tal tabu, presenciado por mim ao longo dos meus cinqüenta anos de advocacia. O primeiro e mais chocante ocorreu com minha primeira esposa, Esther Antonieta Ferreira Tourinho, barrada por um mal educado segurança do Supremo ao adentrar- se no prédio, usando calça comprida discreta e blazer, em minha companhia e do meu colega e defensor João Procópio de Carvalho, auxiliando ao então advogado José Paulo Sepúlveda Pertence ao tempo em que, eu exercendo o mandato de Deputado Federal, fui processado com base na lei de segurança nacional por ter denunciado a chamada operação cristal que, com atentados terroristas atribuídos à esquerda, mas praticados por militares e para militares, objetivavam impedir a abertura política que se iniciava. A Esther foi advertida quanto ao traje de forma mal educada, no que resultou numa ríspida discussão minha e do João Procópio com o segurança, felizmente pacificada pelo Diretor Geral do Supremo a quem eu era ligado por laços de amizade. Vinte e seis anos após, outra montesclarense, ou seja a Ministra Carmem Lúcia, enterraria a idiota proibição que tanto constrangeu sua conterrânea. Lembro-me, ainda, ao tempo em que as mulheres usavam sobre a calça comprida uma pequena saia. Advogada de personalidade muito forte, da direção da OAB-Mulher, tentando despachar, assim trajada, com um juiz extremamente conservador dele ouviu que nada despacharia por estar ela de calça comprida, o que a levou, de forma totalmente inesperada,a declarar “não seja por isto”, ato seguinte retirando-a, ficando apenas com a saia curta. O cômico da cena, presenciada por mim e outros colegas que não conseguimos conter o riso, foi o juiz levantar-se abruptamente de sua cadeira, dirigindo-se ao escrivão ordenando-lhe que retirasse a atrevida advogada do seu gabinete. Recordo-me, também, das meninas do Licurgo, Escrivão da 1ª Vara da Fazenda em longas escadas à procura de autos, com o balcão de atendimento cheio de advogados, numa difícil ginástica de manter as saias perfeitamente encobrindo suas pernas,o que só conseguiam às duras penas. Mas, saltando-se de saias para gravata, adereço masculino que sempre detestei, lembro-me de que, tendo feito inscrição para sustentação oral no Tribunal de Justiça, enfiei a mão no bolso do paletó e não encontrei o famoso pedaço de pano. Coberto pela beca, pensei que a ausência da gravata não seria notada. Ledo engano. Um severo Desembargador, já falecido, dirigiu-se a mim dizendo-me: não acha o senhor, Dr. Genival, que uma gravatinha ficaria melhor? A resposta foi pronta e desconcertante: Não tenho, poderia V.Exa. me emprestar a sua? Todos os presentes, inclusive o interpelante, levaram o rápido diálogo na esportiva e pude fazer minha defesa oral, ganhando a causa, inclusive com o voto daquele saudoso Desembargador. No dia seguinte, subindo no mesmo elevador com o inesquecível amigo José Figueiredo e Silva, que sabia e compartilhava da minha birra com gravatas, disse-me ele que ouvira um comentário sobre o último episódio aqui descrito, afirmando em seguida que descobrira para que servia o adereço. Prontamente perguntei-lhe: serve para quê? Resposta pronta, exibindo-me a parte interna da gravata que usava: para limpar óculos. Gargalhada geral dentro do elevador do velho fórum da rua Goiás.

Mário Genival Tourinho-advogado
OAB/MG 5.994




Selecione o Cronista abaixo:
Avay Miranda
Iara Tribuzi
Iara Tribuzzi
Manoel Hygino
Afonso Cláudio
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Dário Cotrim
Dário Teixeira Cotrim
Davidson Caldeira
Edes Barbosa
Efemérides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lívio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaías
Isaias Caldeira
Ivana Rebello
João Carlos Sobreira
Jorge Silveira
José Ponciano Neto
José Prates
Luiz Cunha Ortiga
Luiz de Paula
Manoel Hygino
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Luiza Silveira Teles
Maria Ribeiro Pires
Mário Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elísio
Ruth Tupinambá
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Walter Abreu
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira